sábado, 11 de janeiro de 2014

Ariel Sharon, ex-primeiro-ministro de Israel, morre aos 85 anos

O ex-primeiro-ministro de Israel Ariel Sharon morreu aos 85 anos neste sábado após passar oito anos em coma depois de sofrer um derrame em 2006, no auge de seu poder político. Sharon morreu no centro médico de Sheba, nos arredores de Tel Aviv, após sua saúde ter-se deteriorado desde 1º de janeiro, quando teve falência renal.
Como um dos últimos líderes da geração dos que fundaram o Estado de Israel, em 1948, a carreira de Sharon trespassa boa parte da história de 65 anos do Estado judeu.

Como um de seus generais mais famosos, ele fez fama com suas táticas ousadas e por uma recusa ocasional em obedecer ordens. Como político, ele ficou conhecido como "o trator" - desdenhoso em relação a seus críticos, mas capaz de fazer as coisas andarem.

Sharon deixou sua marca na região por meio de invasão militar, a construção de assentamentos judaicos em terras ocupadas e uma decisão chocante e unilateral de retirar tropas e colonos israelenses da Faixa de Gaza em 2005.

Ele planejou a invasão do Líbano por Israel em 1982 e perdeu seu cargo de ministro da Defesa depois que uma milícia cristã aliada a Israel matou centenas de palestinos no campo de refugiados palestinos de Sabra e Chatila, no oeste de Beirute, atraindo o ultraje internacional.

Aos poucos, Sharon conseguiu reabilitar sua carreira política. Durante anos, ele foi uma força motriz no movimento pela construção de assentamentos na Cisjordânia e na Faixa de Gaza, capturando áreas reivindicadas pelos palestinos para um Estado futuro. Ele também iniciou a construção do polêmico muro da Cisjordânia.

Primeiramente eleito primeiro-ministro em 2001 se beneficiando de sua fama de linha-dura, ele liderou uma dura repressão contra a segunda intifada (levante) palestina, em uma violência que deixou mais de 3 mil palestinos e 1 mil israelenses mortos. Ele continua desprezado em boa parte do mundo árabe.
Mas em uma dramática mudança de postura, Sharon liderou a retirada de Israel de Gaza em 2005, removendo todos os soldados e colonos da faixa costeira depois de uma ocupação militar de 38 anos.

A retirada de Gaza levou Sharon a romper com o partido linha-dura Likud e a formar o centrista Kadima. Seu novo partido se direcionava para a vitória nas eleições parlamentares de 2006 quando ele teve o derrame.

Soldado

O ex-primeiro-ministro nasceu na Palestina, em 1928, quando a região ainda estava sob domínio britânico. Quando jovem, ele se juntou à organização clandestina judaica Haganah e lutou na guerra árabe-israelense entre 1948 e 1949, logo depois da criação de Israel.

Na década de 1950, Sharon liderou uma série de operações militares com resultados trágicos. Uma delas, em que 50 casas do vilarejo de Qibya foram explodidas, resultou em 69 mortes.

Sharon chegou à patente de general de brigada e comandou uma divisão durante a Guerra dos Seis Dias, em junho de 1967, na qual Israel conseguiu ocupar Jerusalém Oriental, a Cisjordânia e a Faixa de Gaza.

As medidas duras de ocupação que Sharon implantou nesses territórios deram a muitos palestinos a primeira ideia de como agia o homem que seria visto por eles como o grande inimigo.

O primeiro contato do militar com a política ocorreu em 1973, quando ele foi eleito para o Knesset, o Parlamento de Israel. Mas Sharon renunciou um ano depois, para se transformar no assessor de segurança do então primeiro-ministro Yitzhak Rabin. Em 1977, ele foi reeleito para o Parlamento.

Invasão desastrosa

Na época em que ocupou o cargo de ministro da Defesa, em 1982, ele arquitetou a desastrosa invasão ao Líbano.

Sem falar explicitamente ao então primeiro-ministro, Menachem Begin, ele enviou os soldados israelenses para Beirute em um ataque que resultou na expulsão da Organização para Libertação da Palestina (OLP), de Yasser Arafat, do território libanês.

Até então, a OLP tinha no Líbano uma base para expansão da organização, onde concentrava operações e organizava a luta armada contra Israel.

Após dois meses, 14 mil membros da OLP, além de militantes sírios, haviam deixado a capital libanesa. Mas dezenas de milhares de palestinos permaneceram, reunidos em grandes campos de refugiados como o de Sabra e Shatila.

Quebrando uma promessa que tinha feito aos americanos, Sharon enviou suas tropas ao oeste de Beirute, alegando que 2 mil militantes da OLP ainda estavam escondidos nos campos.

Para evitar baixas nas forças israelenses, ele ordenou que milicianos cristãos libaneses invadissem Sabra e Chatila (sob o controle de Israel).

Da parte dos milicianos cristãos, o ataque foi uma retaliação ao assassinato do presidente cristão Bachir Gemayel, dois dias antes, que considerava os refugiados palestinos "população excedente". Até hoje não se sabe ao certo quantos morreram – acredita-se que o número possa ter chegado a 3,5 mil.

Em 1983, Sharon foi afastado do Ministério da Defesa por um tribunal israelense que investigou a invasão do Líbano e determinou que ele era indiretamente responsável pelas mortes nos campos de refugiados.

Sharon argumentou que não era possível prever os desdobramentos sangrentos da entrada das milícias nos campos de refugiados.

A volta

Para a maioria dos políticos, uma condenação como essa significaria o fim da carreira. Mas Sharon continuou sendo uma figura popular na direita israelense, e outra oportunidade surgiu para ele.

Como ministro da Habitação, no início dos anos 1990, ele liderou o grande aumento dos assentamentos israelenses na Cisjordânia e Faixa de Gaza, o maior desde a ocupação em 1967.

Depois de a coalizão de centro-direita de Binyamin Netanyahu chegar ao poder em 1996, o novo primeiro-ministro israelense não aguentou a pressão e incluiu o ex-general em seu gabinete de governo. Em 1998, ele foi designado o novo ministro do Exterior, com elogios de Netanyahu.

Com a vitória de Ehud Barak, do Partido Trabalhista, que assumiu o governo em 1999, Sharon tornou-se líder do Likud, conservador e de oposição a Barak.

Posteriormente, o filho de Sharon, Omri, foi considerado culpado de falso testemunho e falsificação de documentos depois de um inquérito de corrupção que investigou a campanha de Sharon para liderar o Likud. Sharon sempre negou envolvimento e nunca foi formalmente acusado.

Segunda intifada

Ainda como líder do Likud, Sharon fez uma visita polêmica em setembro de 2000 à Esplanada das Mesquitas, em Jerusalém. O local é considerado sagrado tanto para muçulmanos como para os judeus, que o chamam de Monte do Templo.

A visita, interpretada pelos palestinos como uma provocação, é considerada um dos acontecimentos que desencadearam a segunda intifada (ou revolta) palestina.

Críticos afirmam que Sharon sabia que a visita iniciaria uma onda de violência e apostou que o público israelense apoiaria um líder duro como ele, que saberia enfrentar a questão com firmeza.

E Sharon acertou. Em 6 de fevereiro de 2001, ele conseguiu uma vitória esmagadora nas eleições, tornando-se primeiro-ministro com a promessa de conseguir "segurança e paz verdadeira". Ele ainda insistiu que não estava comprometido com as negociações anteriores com os palestinos.

O ex-presidente americano George W. Bush (2001-2009) afirmou que Sharon era "um homem de paz", mas os anos em que o político israelense liderou o país foram marcados pelo recuo nas negociações com os palestinos.

O muro

Depois de uma série de ataques suicidas de militantes palestinos em Israel, que começaram nos anos 1990 e se estenderam pela primeira década do século 21, Sharon iniciou o projeto de construção do muro da Cisjordânia, alegando que a barreira aumentaria a segurança de Israel.

No entanto, ele determinou a retirada israelense da Faixa de Gaza e o desmantelamento de quatro assentamentos na região norte da Cisjordânia, para tentar enfrentar a crescente hostilidade dos israelenses ao seu governo. Depois dessas medidas, Sharon descartou outras retiradas unilaterais.

Em meio à crescente dissidência dentro do Likud por causa da retirada da Faixa de Gaza, Ariel Sharon saiu do partido em 2005, e, juntamente com outros aliados, fundou o Kadima.

Em dezembro de 2005, ele sofreu um leve derrame, seguido de um mais agudo, no ano seguinte, que o deixou em estado vegetativo. Ele foi substituído no governo por seu vice, Ehud Olmert.

Ao lançar seu partido, Sharon convenceu diversas figuras centristas a deixar os partidos Trabalhista e Likud e se unir ao Kadima. Hoje, porém, a agremiação não tem um substituto à altura de Sharon - e possui apenas duas cadeiras no Parlamento israelense.


Fonte: Portal IG.COM

Com AP, Reuters e BBC

Homem iraniano está há 60 anos sem tomar banho

Um homem que mora no sul do Irã está há 60 anos sem tomar banho, segundo relatou a agência de notícias estatal Irna.
Identificado como Amoo Hadji, 80, ele leva vida de forma primitiva, dormindo numa cabana construída por moradores do vilarejo de Dezhgah, na Província de Fars, situado próximo da área onde está instalado.
Além da sujeira que forma grossas camadas de crosta em sua pele e barba, o homem também é conhecido na região por gostar de fumar charuto contendo esterco de animais que pastam na região.
Hadji também fuma tabaco comum, principalmente em épocas de baixa temperatura, quando ele acende vários cigarros ao mesmo tempo para se esquentar.
De acordo com a reportagem da Irna, Hadji se alimenta de pequenos animais e gosta de descansar num buraco no chão que se parece com uma cova. Não se sabe o que o levou a optar por esta vida.

A causa está ligada, em parte, ao período de falta de chuvas na região. Por consequência, o idoso mais parece um homem das cavernas. Sua grande companhia é um pedaço de tubo que serve como cachimbo para fumar esterco.



Com informações do site folha.uol.com


sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

Reviravolta no Brasileirão: Juiz dá liminar a torcedor e devolve pontos da Portuguesa

Ainda cabe recurso à decisão de manter a Portuguesa na Série A do Brasileiro.


O juiz Marcello do Amaral Perino, da 42ª Vara Cível Central, concedeu liminar obrigando a CBF a devolver os quatro pontos retirados da Portuguesa pela escalação irregular do meia Héverton na partida contra o Grêmio, pela última rodada do Campeonato Brasileiro em dezembro. Perino já havia concedido liminar, mais cedo, a uma ação movida por um torcedor do Flamengo que pedia que o clube carioca recuperasse os quatro pontos retirados pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). O Flamengo foi punido por utilizar, diante do Cruzeiro, na última rodada do Brasileiro, o lateral-esquerdo André Santos que, no entender da justiça desportiva, deveria cumprir suspensão.
A decisão do STJD, porém, foi baseada na legislação esportiva e não levou em conta o que determina o Estatuto do Torcedor. Foi com base nisso que torcedores levaram a causa à Justiça comum. A ação que beneficiou a Portuguesa foi interposta por Artur Monteiro Vieira, defendido pelo advogado Leonardo Cesar Montes Dainese, segundo consta no site do Tribunal de Justiça
Ainda segundo o TJ-SP, a ação foi distribuída para a 42ª Vara Cível Central porque já havia outra idêntica, a que beneficiou o Flamengo. Cabe recurso à decisão, mas por enquanto, quem disputará a Série B em 2014 será o Fluminense. Sem as punições do STJD, o Fluminense terminou o Brasileirão com 46 pontos, menos do que o Flamengo, que somou 49, e a Portuguesa, que ganhou 48.



Fonte: Estadão e veja.com

quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

Para onde caminha o Plano Nacional de Educação (PNE)?

Em dezembro o Projeto de Lei que institui o novo Plano Nacional de Educação completou três anos de tramitação, período coincidente com o tempo que o país está órfão de diretrizes nacionais para superar suas deficiências na área educacional. No início de 2014 finalmente o PNE entrará na última fase de sua tramitação, quando a Câmara analisará as mudanças feitas pelo Senado e dirá se concorda ou não com elas.

Neste longo tempo de tramitação ficou evidente que 122 anos de República não foram suficientes para colocar a educação como um dos pilares do desenvolvimento nacional. E foi possível identificar os principais entraves para a construção de um Plano que eleve o padrão educacional a patamares compatíveis com o potencial econômico brasileiro.

A principal polêmica durante a tramitação foi o financiamento do plano. De um lado, o governo federal propondo que apenas um crescimento vegetativo dos gastos públicos seria suficiente para cumprir as metas do plano. Do outro lado, um pequeno número de parlamentares, todos os especialistas na área de financiamento da educação e toda a sociedade civil afirmando que com menos que 10% do Produto Interno Bruto de investimento na educação pública o plano seria apenas uma carta de intenções e não desataria os nós de acesso, permanência e sucesso da educação.

Paralelamente, a polêmica do financiamento apareceu a mais antiga polêmica da educação brasileira. A oferta educacional deve ter como primazia a prestação de serviço público ou pode haver combinação com a prestação de serviços privados, subsidiados pelo Estado, nos moldes mais apreciados pelo capitalismo brasileiro? A posição do governo, inclusive para fechar as suas contas sobre financiamento e para não sofrer pressões que retirem recursos das demais prioridades orçamentárias, especialmente dos serviços da dívida pública, tem sido de propor parcerias com o setor privado e, obviamente, incluir na contabilização dos 10% do PIB todos os gastos com bolsas de estudo e empréstimos subvencionados, mesmo aqueles não cobertos pelos critérios constitucionais sobre destinação de recursos públicos para o setor privado.

Um terceiro tema se firmou no debate e ele diz respeito à necessidade de estabelecimento de um padrão mínimo de qualidade para nossas escolas. Somos uma federação e a educação é oferecida por todos os municípios, estados e pela União e a qualidade desta oferta tem refletido a desigualdade territorial existente. Assim, nos municípios do Norte e Nordeste, as escolas, especialmente as localizadas no campo, são mais precárias, a formação docente é menor, os salários são menores (muitos abaixo do piso legal) e as carreiras docentes são praticamente inexistentes. A última Conferencia Nacional de Educação (2010) aprovou o Custo Aluno-Qualidade (CAQ) como a matriz para a construção deste padrão. O Conselho Nacional de Educação referendou o CAQ como matriz e o governo foge desta definição como o diabo foge da cruz. E esta postura tem fundamentos econômicos e federativos. Não existe como estabelecer um padrão mínimo de qualidade sem forte participação financeira da União.

O texto aprovado em 2012 pela Câmara, no geral, está mais antenado com as demandas da sociedade do que o que foi construído pelo Senado Federal. Mas uma distribuição clara de responsabilidades na execução das metas e estratégias entre os entes federados está ausente dos dois. E esta ausência torna muito mais incerto o cumprimento das metas. Um exemplo é a meta de expansão das matrículas da educação infantil, que somente se efetivará com apoio financeiro dos estados e da União, pois isoladamente os municípios brasileiros, especialmente os mais pobres, não conseguirão dar conta de suas tarefas.

Espero que forte mobilização social reverta os impasses acima descritos e o plano da educação se torne um instrumento de reversão do caos educacional que vivenciamos e que as manifestações de junho clamaram para que seja revertido. Afinal, um país que consegue construir obras grandiosas para a Copa do Mundo de Futebol certamente tem capacidade de construir uma educação "padrão-fifa" para o seu povo.


Por: Luiz Araujo - professor da Faculdade de Educação da UnB, doutorando em financiamento da educação na USP e colaborador da Campanha Nacional pelo Direito à Educação

Fonte: Portal IG.COM

Imagem ilustrativa

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

Prefeituras terão repasse de FPM alto. Em comparação com o primeiro decêndio de janeiro do ano passado, o repasse teve crescimento de 36,1%, em termos nominais

O primeiro repasse de 2014 do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) vai ser de R$ 3.057.768.849,96. O valor considera o desconto da retenção do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), e entra nas contas das prefeituras nesta sexta-feira, 10 de janeiro. Em valores brutos, com a soma da retenção do Fundo, o montante é de R$ 3.822.211.062,45.
Em comparação com o primeiro decêndio de janeiro do ano passado, o repasse teve crescimento de 36,1% – em termos nominais –, sem considerar a inflação. Já em termos reais, ao se descontar a inflação do período, o crescimento foi de 31,5%. Isso também em comparação com o mesmo período do ano passado.
De acordo com levantamento da Confederação Nacional de Municípios (CNM), esse crescimento deve-se principalmente a diferenças no cronograma de restituição do Imposto de Renda (IR). O tributo, juntamente com o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), constitui base para o FPM. Ainda de acordo com a Confederação, o repasse reflete à arrecadação realizada no final do ano passado fortalecida pelas compras de fim de ano.
Previsão da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), para o mês de janeiro de 2014, indica aumento de 19%, em relação ao mês de dezembro de 2013.

Veja aqui os valores por Estado.

Fonte: Agência CNM

Alexandre Celso Garcia: A biografia de um ilustre Professor!

Uma Biografia!

O Professor Alexandre Celso Garcia, nasceu em 28 da março de 1863, na cidade de São José de Mipibú/RN e faleceu na cidade de Santo Antônio/RN em 13 de dezembro de 1963.
Casou-se pela primeira vez em 28 de setembro de 1889, com dona Evência Cursio Garcia, que era de família italiana. Deste casamento resultou o nascimento de 11 filhos. Ficando viúvo, o professor casou-se pela segunda vez com dona Joana Ribeiro Duarte, em 10 de janeiro de 1905. Ela Natural de Nízia Floresta, antiga Paparí. Não havendo filhos nesse segundo casamento.
Lutando sempre pelo desenvolvimento da comunidade de Santo Antônio, foi o braço direito do Coronel Rodopiano de Azevedo na formação da freguesia de Santo Antônio em 12 de dezembro de 1915. Acompanhava o Coronel servindo de porta-voz. Na arquidiocese de João Pessoa, se dirigiu ao Arcebispo D. Adauto Aurélio de Miranda Henrique, ao qual concedeu a formação da freguesia e liberou para Santo Antônio o primeiro sacerdote José Carlos Cavalcante de Albuquerque. Antes do professor exercer suas funções em Santo Antônio,  lecionou em várias cidades do Estado. Retornando, criou raízes, lutando sempre com muita energia e fé pela nossa cidade.
Além de professor, ele exerceu três cargos na comunidade: Secretário da Prefeitura, Juiz de paz e Juiz seccional. “O professor” como era carinhosamente chamado, foi considerado o dicionário de todas as autoridades da época, tirando dúvidas e repreendendo educadamente àqueles que cometiam erros de português. Seus esforços estavam sempre voltados para o futuro desenvolvimento da cidade.
Faleceu aos cem anos de idade, deixando aos amigos muita saudade. Na nossa história será sempre lembrado como um homem íntegro e virtuoso.

Por ironia do destino, o seu nome é lembrado e falado nos dias de hoje quando se fala na Escola Estadual “Alexandre Celso Garcia”, na rua Marechal Floriano e na praça “Celso Garcia” em frente a igreja matriz, ambas em Santo Antônio/RN.

 Escola Estadual Alexandre Celso Garcia

 Praça Celso Garcia


Infelizmente não foi possível obter uma imagem do ilustre professor. Procurei nos possíveis locais onde seria provável encontrar, porém, nesses lugares, ninguém tinha sequer uma fotografia. Lamentável!
 Escola Estadual Alexandre Celso Garcia



Por: Claudianor D. Bento


Com informações obtidas na: Escola Estadual Alexandre Celso Garcia

terça-feira, 7 de janeiro de 2014

Em Santo Antônio, um dos maiores espetáculos da região agreste.

Botões de rosa da árvore da pedra da onça em Santo Antônio/RN

Quem assistiu o famoso clássico do cinema: A sociedade dos poetas mortos, com certeza nunca esquecerá  a   famosa frase: “Pegue seus botões de rosa  enquanto pode. O tempo está voando. A estas horas, flores que hoje riem,  amanhã estarão mortas”.


A impressão que dá, ao final dessa parte do filme, é que realmente não haverá mais sentido. Por consequência, há de se pensar que as “flores da esperança” que alimenta a alma de cada um de nós, nunca voltarão a desabrochar nas porosas veias que carregam vida  ao coração. E à alma? Porém como num estridente sopro divino, as flores a cada ano voltam com toda a sua pompa e beleza  para alegrar os corações adeptos  da simplicidade e da virtude. 

E se você se enquadra bem nessas  características e quer apreciar não um, mais vários botões de flores, vá até a famosa praça da onça em Santo Antônio/RN, e então verá um dos maiores espetáculos da natureza. Os botões de rosa da quase centenária “árvore da pedra da onça” e, tenha certeza, não se decepcionará.
A árvore em sua troca de folhas


Por: Claudianor D. Bento


O CRUZEIRO DAS LAGES EM SANTO ANTÔNIO/RN: Padre Cerveira, o crime que o povo nunca esqueceu.

- Meu Deus! Meu Deus!- Possa o sangue do mártir remir o crime do  presbítero! E, largando o franquisque(machado de guerra) levou as mãos ao capacete de bronze e arrojou-o para longe de si. Muguite, cego de cólera, vibrava a espada: o crânio do seu adversário  rangeu, e um jorro de sangue salpicou as faces do sarraceno. Como tomba o abeto(árvore) solitário da encosta ao passar do furacão, assim o guerreiro misterioso do Críssus(rio) caía para não mais se erguer!... (Eurico, o Presbítero:  Alexandre Herculano 1810/1877: Romantismo Português.)

Teria sido um martírio?

O Padre José Luiz Cerveira, mesmo convicto e ciente das suas obrigações religiosas, parte para uma  querela  desnecessária e quase suicida contra  vizinhos de terra, nas Lages. Adentrando numa senda perigosa e, ao mesmo tempo, indo de encontro a sua ruína.
Fato esse, inusitado, que permeia pela ignorância que imperava no inicio do século 20, não poderia ter acabado de maneira diferente. A não ser  num incidente de dimensões  catastróficas para a recém fundada cidade (vila) de Santo Antônio.

A paróquia de Nossa Senhora da Conceição de Santo Antônio/RN conta que o famoso e sombrio crime aconteceu (segundo fontes da própria igreja)  em 25 de fevereiro de 1904.
“O Padre Cerveira se dirigiu com destino a Lages (Distrito de Santo Antônio- RN) a fim de mandar derrubar um cercado que havia sido construído por Joaquim Clemente, com madeira tirada numa mata pertencente ao Padre. O Padre foi acompanhado por diversos trabalhadores. Ali chegando, apareceram Joaquim Clemente e seus dois filhos, Joaquim e João. Um de seus filhos pediu ao sacerdote que não mandasse derrubar a cerca. Como o Padre não atendeu  à solicitação, ele vibrou uma facada no seu estômago, e  derrubou-o do cavalo em que estava montado, como se isso não bastasse, os três precipitam-se, sobre o Padre e vibraram-lhe várias outras facadas; o sacerdote expirou imediatamente. Um dos presentes que era afilhado e amigo do vigário, tentou socorrê-lo, porém foi igualmente assassinado.

Os criminosos foram capturados imediatamente. Padre Cerveira era Português e contava com 69 anos e era também Médico homeopata, empregava o sistema Hahnemann(Do alemão Samuel Christian Friedrich Hahnemann) e aplicações hidroterápicas, fez numerosas curas em pessoas pobres de sua freguesia”.

O assassinato do Padre Cerveira atravessou gerações e hoje, no local do crime, encontra-se um famoso, e ao mesmo tempo , esquecido  cruzeiro erguido em sua homenagem e que lembra aquele terrível e singular episódio de nossa história. E atualmente temos uma rua em sua homenagem:  Rua Padre Cerveira(antiga Rua do Motor).

Segundo o proprietário atual, O Senhor Luíz Maia, sempre aparecem devotos, religiosos e também curiosos de várias cidades do RN e PB; e até de outros estados, colocando sobre o cruzeiro, objetos: terços, pequenas relíquias, muletas, imagens de santos em geral, velas, etc. Todos para pagarem as promessas de bênção e graça, segundo eles, alcançadas.
Na minha opinião merecia ser erguida uma pequena capela no local e ser construído um melhor acesso, para  melhor servir aos peregrinos que se desloca ao local para fazer e pagar as sua promessas. Lute por esse justo espaço religioso! Memória da nossa História. E ao mesmo tempo visite-o, vale a pena conhecer.

Caminho ao santuário

Por Claudianor D. Bento

Produzi essa matéria no início do ano passado. A pedidos, resolvi republicar. 





MATÉRIA ESCURA: Terra pode estar cercada de misterioso anel de matéria escura

Você deve imaginar que um GPS é útil para encontrar uma rota, mas o instrumento também parece ser capaz de resolver questões fundamentais da física. Um estudo das órbitas de satélites GPS sugere que a Terra está cercada de um anel de matéria escura. As informações são da New Scientist.

Os cientistas acreditam que a matéria escura corresponde a 80% da matéria do universo. Mas, além dessa informação, pouco se sabe sobre esse componente misterioso do cosmos.
O especialista em telecomunicações Ben Harris, da Universidade do Texas, se perguntou se a matéria escura pode afetar satélites GPS. Após analisar dados coletados durante nove meses, concluiu que a Terra é mais pesada do que deveria ser. Isso pode acontecer por causa do anel de matéria escura em torno da Linha do equador.

Na reunião de dezembro da União Geofísica Americana, em San Francisco (EUA), Harris exibiu os dados que mostram que a Terra exerce mais atração gravitacional para satélites do que deveria. O cientista relatou um valor médio entre 0.005 e 0.008% maior do que a massa da Terra (5,972E24 kg), segundo o estabelecido pela União Astronômica Internacional.

Segundo Harris, a explicação para esse anomalia é um anel de matéria escura que pode circundar o planeta. Esse disco poder ter 191 quilômetros de espessura e 70 mil quilômetros de diâmetro.


Apesar de fazer sentido, novos estudos precisam ser feitos para comprovar a teoria de Harris, principalmente porque ele pode não ter considerado a relatividade da Lua e do Sol, por exemplo. Mas se sua teoria estiver correta, os satélites poderão ajudar a revelar, no futuro, propriedades da matéria escura.


Fonte: info.abril.com



O que é a matéria escura?

Na cosmologia, matéria escura (ou matéria negra) é uma forma postulada de matéria que só interage gravitacionalmente (ou interage muito pouco de outra forma). Sua presença pode ser inferida a partir de efeitos gravitacionais sobre a matéria visível, como estrelas e galáxias.

No modelo cosmológico mais aceito, o ΛCDM, que tem obtido grande sucesso na descrição da formação da estrutura em grande escala do universo, a componente de matéria escura é fria, isto é, não-relativística. Nesse contexto, a matéria escura compõe cerca de 23% da densidade de energia do universo. O restante seria constituído de energia escura, 73% e a matéria bariônica, 4%. (wikipédia)


domingo, 5 de janeiro de 2014

Vitamina E ajuda a frear avanço da demência, diz estudo

Uma pesquisa realizada nos Estados Unidos sugere que uma dose diária de vitamina E pode ajudar pessoas com demência.

No estudo, os cientistas do hospital Minneapolis VA Health Care System, da cidade de Mineápolis (norte dos EUA), descobriram que pessoas que apresentavam quadros leves a moderados do Mal de Alzheimer e que tomaram altas doses de vitamina E apresentaram uma desaceleração do declínio causado pela doença em comparação às pessoas que receberam placebo.

A melhoria foi constatada em atividades do cotidiano como realizar tarefas de higiene pessoal, participar de uma conversa ou se vestir. Além de conseguir realizar essas tarefas por mais tempo, os pacientes que tomaram a vitamina precisaram de menos ajuda de cuidadores.

Por outro lado, a pesquisa não demonstrou uma melhoria ou desaceleração em um efeito crucial do Alzheimer, a perda de memória.

Grupos

O estudo, realizado por pouco mais de dois anos, envolveu 613 pacientes com Alzheimer em estágio inicial ou moderado, com em média 79 anos e em sua maioria homens.

Eles foram dividos em grupos que receberam ou uma dose diária de vitamina E, ou uma dose do remédio para demência conhecido como memantina, ou uma combinação de vitamina E e memantina, ou ainda um placebo.

Os pesquisadores descobriram que os participantes que receberam a vitamina E tinham um declínio funcional mais lento do que os que recebiam o placebo. A taxa anual de declínio de funções foi reduzida em 19%.

"Não é um milagre ou, obviamente, uma cura", disse o líder da pesquisa, Maurice Dysken. "O melhor que conseguimos neste momento é diminuir a taxa de avanço da doença."

Os resultados da pesquisa foram divulgados na publicação especializada Journal of the American Medical Association (Jama).

Consulta ao médico

Doug Brown, diretor de pesquisa e desenvolvimento da organização britânica Alzheimer Society, que dá apoio a pessoas com demência, analisou a pesquisa americana e afirmou que os tratamentos que podem ajudar as pessoas com demência a realizarem tarefas cotidianas são muito importantes para aumentar o tempo e a qualidade de vida das pessoas com o problema.

Mas, Brown acrescentou que é preciso fazer mais pesquisas para verificar se a vitamina E tem mesmo benefícios para as pessoas que sofrem com algum tipo de demência e se é seguro tomar uma dose tão alta diariamente.

"É de importância vital que as pessoas sempre procurem aconselhamento do médico antes de começar a tomar estes suplementos", disse.

"Neste caso, a dosagem de vitamina E tomada pelos participantes (da pesquisa) foi muito mais alta do que a dose diária recomendada e foi a um nível que pode ser significativamente prejudicial para alguns."

Eric Karran, diretor de pesquisas da organização britânica Alzheimer Research UK, que financia estudos sobre a demência, destaca que a nova pesquisa não indicou uma melhora na memória ou na habilidade intelectual dos pacientes que tomaram a vitamina.

Para Karran, ainda é muito cedo para recomendar a vitamina E como tratamento.

"Até que as descobertas desta pesquisa tenham sido reproduzidas, nós não aconselharemos as pessoas a tomar doses altas de suplementos de vitamina E para tentar evitar ou tratar Alzheimer."

"Se as pessoas estão preocupadas com o consumo de vitaminas ou com a dieta, elas devem consultar um médico", disse.

Fonte: uol.com

Onde encontrar a Vitamina E

Esta vitamina é encontrada em verduras (como alface, agrião, espinafre, couve), em óleos vegetais (como de algodão, milho, soja, azeite de dendê, óleo de semente de açafrão), ovos, germe de trigo, semente de girassol, algodão, soja, banana, manteiga, carnes, nozes, amendoim, gergelim, linhaça, entre outros.

Já  em excesso, esta vitamina pode ser benéfica, prevenindo doenças cardíacas, câncer, Mal de Parkinson, cataratas, aumento do tempo de coagulação sanguínea. No entanto, há a necessidade de aumentar a ingestão de vitamina K.(Infoescola)